Às vezes tenho dó da rotina, essa incompreendida. Associada pelo senso comum a coisas sem graça e tediosas, ela esconde uma das maiores virtudes de quem tira ideias do papel, de quem vai do ponto A ao ponto B: o método.

Empiricamente podemos conseguir ótimos resultados. Tentativa e erro enquanto jeito de trabalhar tem seu valor. Mas é a rotina que estabelece os parâmetros, as métricas, e o mais importante: dá ritmo. É ela que dá condições de saber se estamos melhorando o desempenho ou não...

É assim quando começamos a prática de um exercício físico, quando mudamos o horário de acordar pela manhã... E é assim também com a escrita, técnica ou literária. Podemos, através da rotina, escrever tão desembaraçadamente quanto é andar de bicicleta depois que dominamos...

 Experimente estabelecer um horário, ou um dia da semana. Bloquei sua agenda para o único exercício de escrever. Após algumas semanas você sentirá os resultados.

 

 

Por Sandra Veroneze

Capítulo Integrante do livro “365 dicas para escrever criativamente”

Proibida sua reprodução sem autorização da Autora @ Todos os direitos reservados