Quando me disseram que uma das minhas autoras preferidas estaria participando da feira do livro fiquei muito empolgada. Ela viria do centro do país, algo que não acontece toda hora, e então reservei a noite para ir até o município vizinho assistir aos seus encantos. Quando ela entrou no palco cantando meu estômago era só borboletas...

O encanto durou dois minutos. Em plena campanha eleitoral, se não me engano para a presidência da República, ela começou a desfilar argumentos subjetivos num deslavado proselitismo político. Paga com dinheiro público e fazendo propaganda pra candidato – pensei. ‘Que bonito, hein’.

Nunca mais li nada dela – e sei que perco com isso. Mas a decepção foi demais. Então minha dica é: nunca conheça pessoalmente seus ídolos.

 

Por Sandra Veroneze

Capítulo Integrante do livro “365 dicas para escrever criativamente”

Proibida sua reprodução sem autorização da Autora @ Todos os direitos reservados