O ídolo brasileiro do basquete Oscar Schmidt contou, em uma entrevista, que tinha por hábito permanecer um tempo ainda em quadra depois dos treinos coletivos. Nesse tempo, sozinho, ele aperfeiçoava sua técnica, especialmente nos lances de três metros.

Muitos acreditam que o diferencial está um pouco à frente do ponto onde a maioria chega. Outra frase similar diz que o sucesso está para além da zona de conforto. Um terceiro ainda poderia argumentar que o segredo está nos detalhes e que esses só podem ser percebidos indo além do comum, do usual. Existe uma frase que eu curto muito e ela diz mais ou menos assim: não se chega lá saindo de lá.

Na escrita, é louvável mirar a excelência. Mapeie sua zona de conforto, dedique-se um pouquinho mais do que seria um aceitável ponto de equilíbrio. E observe se essa técnica funciona para você. Mensure os resultados. Se for, continue! Do contrário, não se atenha!


Por Sandra Veroneze

Capítulo Integrante do livro “365 dicas para escrever criativamente”

Proibida sua reprodução sem autorização da Autora @ Todos os direitos reservados