Eu sou apaixonada por músicas que contam histórias. Faroeste Caboclo, do Legião Urbana, é um clássico. Outro exemplo, do mesmo grupo, é Eduardo e Mônica. Com a infância no campo, conheci o estilo caipira e até hoje me encantam canções como Chico Mineiro e o Menino da Porteira. São narrativas completas! Só consigo parar de ouvir depois de saber o que acontece com cada um dos personagens.

Um exercício interessante, na escrita ficcional, é transformar músicas em breves narrativas. Experimente recontar Faroeste Caboclo, Eduardo e Mônica, Chico Mineiro e Menino da Porteira. Escolha outra canção, de qualquer estilo, e crie uma narrativa. Caso os versos sejam essencialmente poéticos e em si não revelem uma história, imagine o acontecimento que motivou, que inspirou a canção! 

Não se preocupe, aqui, necessariamente com originalidade, mas sim com o aperfeiçoamento de sua técnica narrativa.


Por Sandra Veroneze

Capítulo Integrante do livro “365 dicas para escrever criativamente”

Proibida sua reprodução sem autorização da Autora @ Todos os direitos reservados