A capacidade de imaginar é fundamental para escritores, especialmente os ficcionais. Para a arte de contar histórias, a habilidade de criar cenários, desdobramentos e reviravoltas é fundamental.

Uma técnica que me auxilia muito nesse sentido aprendi na Filosofia Clínica. Funciona mais ou menos assim: estabeleça um ponto A e um ponto B. Exemplo: o ponto A é acordar de manhã e o ponto B é chegar no trabalho. O que pode acontecer entre o ponto A e o ponto B? Supomos que tenha um congestionamento, bem próximo do ponto B. E entre o ponto A e o congestionamento o que pode acontecer? O personagem pode ouvir na rádio que seu artista favorito anunciou a agenda de shows e estará em alguns meses na sua cidade...

E assim sucessivamente. Os pontos A e B podem ser todos aqueles que você puder criar.

 

Por Sandra Veroneze

Capítulo Integrante do livro “365 dicas para escrever criativamente”

Proibida sua reprodução sem autorização da Autora @ Todos os direitos reservados